Thiago Rodrigues supera ‘maldição’ dos últimos anos e se firma no gol do Vasco; preparadores comentam

Ao lado de Raniel, o goleiro Thiago Rodrigues tem sido o principal destaque entre os reforços do Vasco para a temporada. Aos 33 anos, o arqueiro vem conseguindo superar a “maldição” do gol vascaíno nos últimos tempos e tem sido exaltado pelos torcedores nos jogos e nas redes sociais, após grandes defesas nestes cinco primeiros meses de 2022.

Batizado de “Batman da Colina” pelos cruz-maltinos por conta do uso de um protetor facial nas partidas, Thiago foi contratado pelo Vasco muito por conta de seus scouts. Ano passado, por exemplo, quando ainda estava no CSA, ele teve a maior nota entre os goleiros das Séries A e B na plataforma Sofa Score, especializada em estatísticas de futebol.

Internamente, o arqueiro tem sido muito elogiado não só pelo aspecto técnico como também sobre o entendimento do peso e responsabilidade de atuar no Vasco.

“Com relação à performance do Thiago nos últimos anos de carreira, isso por consequência o trouxe ao Vasco. Eu credito isso a um autoconhecimento muito grande do Thiago, bem como o seu entendimento do peso da camisa do Vasco e o tamanho da responsabilidade que se tem quando se está num clube de tamanha grandeza, expressada por sua história bem como o tamanho de sua torcida apaixonada. Ele sabe muito bem o discernimento disso, sabe muito bem onde que chegar, onde quer contribuir bem, como todos nós, para colocar o Vasco novamente no cenário onde nunca deveria ter saído”, declarou ao UOL Esporte o preparador de goleiros do clube, Daniel Crizel.

Segundo o profissional, outro ponto de destaque de seu goleiro é a capacidade de leitura e orientação do sistema defensivo, algo que acaba ajudando em seu desempenho:

“Quando o trabalho do Thiago passa a ser exaltado, traz à tona todo um trabalho coletivo, porque as ações defensivas se iniciam no ataque, quando nosso sistema defensivo começa a pressionar o adversário e minimize a chegada de bolas na nossa meta. E no caso específico do Thiago, além das defesas que tem praticado baseadas no talento e no trabalho que realiza, tem também uma grande capacidade de orientação e comunicação desse sistema defensivo, e isso tudo resulta dentro de campo numa quantidade menor de ações, mas nem por isso menos decisivas”, comentou.

Para Crizel, a competitividade entre os goleiros acaba elevando o nível de evolução deles. Além de Thiago Rodrigues, a equipe conta com os jovens Alexsander, Halls e Fintelman, trio revelado nas divisões de base do clube.

“Outro ponto que destacaria é a capacidade interna do grupo de goleiros de serem muito competitivos. Eles acabam empurrando um ao outro para cima, dado o nível de exigência diário e o quão se dedicam no dia a dia. Esse ciclo virtuoso faz com que todos evoluam juntos”, disse o preparador de goleiros.

Preparação física para “aumentar repertório motor”

Quem está no dia a dia no CT Moacyr Barbosa garante que há grande dedicação por parte de Thiago Rodrigues. Na parte física, há um trabalho em conjunto feito pelo Departamento de Saúde e Performance (DESP) do clube. Um dos grandes objetivos da preparação física, por exemplo, é aumentar ainda mais o repertório motor do goleiro.

“O trabalho desenvolvido com o Thiago desde o início do ano se baseia em padrões de movimento. Ou seja, todos os exercícios que ele realiza são livres, buscando a consciência corporal, mobilidade, estabilidade e controle motor dos movimentos propostos a ele”, disse ao UOL Esporte o preparador físico Luis Felipe Taranto Sinforoso, que complementou:

“Um dos grandes objetivos que temos é aumentar o repertório motor dele com exercícios tridimensionais e fazer o fortalecimento não só da parte de força, mas também da de potência seguindo esses padrões de movimento. Geralmente essa dose é determinada por todo o Departamento de Saúde e Performance, desde a avaliação dos médicos, da fisioterapia e o trabalho em conjunto com o nutricionista para otimizar a composição corporal do Thiago e o aumento da massa muscular, que vai interferir diretamente em sua performance.”

Goleiros não se firmavam na posição desde Martín Silva

A “maldição” no gol do Vasco se iniciou em dezembro de 2018, quando o goleiro uruguaio Martín Silva deixou o clube. Na sequência, Fernando Miguel ocupou a vaga, mas alternou bons e maus momentos e nunca caiu nas graças da torcida definitivamente, sendo emprestado ano passado para o Atlético-GO.

Em 2021, a bola da vez foi o experiente Vanderlei, ex-Santos, Grêmio e Coritiba, mas o arqueiro não foi bem em sua passagem por São Januário e acabou deixando o clube nesta temporada, quando se transferiu para o Operário (PR).

Outros goleiros como Sidão, Lucão, Jordi e Gabriel Félix também passaram pela posição, mas nunca conseguiram se firmar e também deixaram o clube.

Fonte: UOL