Jogadores com nome de presidente disputam vaga no ataque do Vasco: Getúlio e Figueiredo

Para você, quem é melhor? Getúlio ou Figueiredo? Em ano eleitoral, levantar tal debate pode gerar discussões mais acaloradas, mas na “república” vascaína, isso é apenas uma dúvida que fica dentro das quatro linhas.

Ainda em busca da melhor formação e demonstrando uma pequena evolução na Série B, o técnico Zé Ricardo tem promovido uma disputa “presidenciável” em seu ataque, ora escalando o recém-contratado Getúlio, ora optando pelo prata da casa Figueiredo. Mas, apesar dos nomes sugestivos, nenhum dos dois teve como inspiração os ex-presidentes Getúlio Vargas e João Figueiredo.

Segundo Getúlio, quem escolheu seu nome foi sua avó de “maneira aleatória”. Já Figueiredo é apenas o sobrenome de Lucas Figueiredo dos Santos.

Em campo, o jovem revelado nas divisões de base soma mais jogos como titular nesta Série B. Foram quatro das seis partidas disputadas pela equipe até aqui, sendo que ainda entrou nas outras duas. Getúlio, por sua vez, atuou em quatro jogos, mas em apenas um começou entre os 11. Porém, foi justamente na última rodada, na vaga de Figueiredo, em duelo onde o Vasco venceu por 1 a 0 o CSA e colou no G4.

“O CSA é um bom adversário, tem uma equipe que trabalha bem os cruzamentos. A ideia do Getúlio de início foi para que a gente pudesse fortalecer a nossa bola aérea, para se projetar nas costas do Diego Renan. Poderia levar vantagem por ali. Ele começou bem a partida, depois de um ou dois erros perdeu um pouquinho a concentração. Ele tentou fazer o jogo de uma forma mais ansiosa”, explicou Zé Ricardo após o jogo, detalhando também sua ideia de colocar Figueiredo no decorrer:

“O Figueiredo eu queria guardar para o segundo tempo. É um jogador muito potente. Jogo pensado, como todos jogos são. Estratégia às vezes dá certo, às vezes não. Mas a equipe perseverou.”

Neste domingo (15), o Cruzmaltino novamente atuará em São Januário em jogo com caráter decisivo contra o líder Bahia. Uma vitória poderá colocar o time vascaíno no grupo de acesso à Série A e Zé Ricardo faz mistério. Getúlio e Figueiredo novamente disputam uma vaga no ataque com o também atacante Erick, recuperado de lesão, correndo por fora.

Getúlio Vargas tem história com o Vasco

Getúlio, o atacante, ainda busca escrever seu nome no Vasco e garante que seu nome não tem ligação com o ex-presidente da República, mas o falecido Getúlio Vargas pôde se orgulhar de entrelaçar sua história com a do Cruzmaltino.

Vargas costumava realizar em São Januário eventos cívicos em homenagem ao Dia do Trabalho. E em duas destas ocasiões, acabou anunciando decisões históricas para o Brasil. Em 1940, por exemplo, foi do alto da tribuna do estádio que anunciou a criação do salário mínimo. No ano seguinte, o ex-presidente informou, também do local, a instalação da Justiça do Trabalho.

Ao todo, segundo o site “Netvasco”, Getúlio Vargas comandou a solenidade de 1º de maio em São Januário em cinco oportunidades, as duas últimas mesmo depois de inaugurado o Maracanã: 1940, 1941, 1945, 1951 e 1952.

Alguns sites também afirmam que Vargas era torcedor de Grêmio e Vasco, o primeiro por suas origens no Rio Grande do Sul e o segundo por adoção.

Fonte: UOL