Sem marcar gols, mas com lances decisivos, Figueiredo vive sua melhor fase no Vasco

Atacante vive de gols? Reza a lenda que sim. No caso específico de Figueiredo, no entanto, a seca contrasta com o seu melhor momento no time profissional do Vasco, desde que estreou, há pouco mais de um ano, no Carioca do ano passado.

Figueiredo, de 20 anos, sabe fazer gols. Foi artilheiro da Copinha, em janeiro, com oito. Pelo profissional, porém, ainda não balançou as redes em 46 jogos – 11 como titular. Estatística ruim para o atacante, mas que mascara seu momento no time. Além de ter participado de forma decisiva de gols na Série B nas vitórias sobre Ponte Preta e CSA, ele tem protagonizado lances bonitos que, por pouco, não viraram gols.

– A verdade é que essa é a primeira sequência à vera que o Figueiredo está tendo. Quando foi lançado pelo Marcelo Cabo (em 2021), ele oscilava. Jogava um e ficava outros tantos jogos fora. O time não se encontrava, foi um período muito conturbado do Vasco. Agora ele está tendo uma sequência, está muito mais confiante, tentando jogadas individuais, está chutando. O gol é questão de tempo. Não acho que interfira no desempenho dele. Na atual conjuntura, com o que o Vasco tem, e os jogadores estão apresentando, o Figueiredo é titular absoluto e tem que jogar. Não fez gol? Acontece. Uma hora ele vai fazer – analisou o comentarista Lédio Carmona.

No último jogo, por exemplo, Figueiredo começou no banco contra o CSA, entrou no segundo tempo e, ao lado de Juninho e Palácios, mudou a cara do time. E foi um chute forte de fora da área – uma de suas características – que abriu o caminho para vitória por 1 a 0 em São Januário. A bola explodiu na trave e sobrou para Pec marcar.

O lance é mais um dos quase gols de Figueiredo nesta temporada. O atacante coleciona bons chutes, principalmente de fora da área, e até jogadas de efeito. Nesta temporada foram duas tentativas de bicicleta.

A primeira, contra o Resende, no Carioca, foi sensacional. Figueiredo deu uma bicicleta de fora da área, mas o goleiro defendeu no ângulo. Contra o Tombense, na Série B, ele tentou repetir a dose. O lance foi bonito, mas não teve a mesma plasticidade e precisão e saiu pela linha de fundo.

Lances bonitos, aliás, fazem parte do repertório do jovem atacante de 20 anos. Na Copinha, em janeiro, Figueiredo ficou na segunda colocação do Prêmio Dener, que celebra os gols mais belos da competição. O golaço que marcou contra o São Paulo, de fora da área, ficou atrás apenas da bicicleta de Endrick, do Palmeiras.

Figueiredo vinha sendo titular até a ultima rodada, quando perdeu a posição para Getúlio contra o CSA. No entanto, entrou no segundo tempo, foi muito bem e deve voltar ao time contra o Bahia.

 

 

 

Fonte: ge