Luisinho elogia Yuri Lara: ‘Tem tudo a ver com o Vasco’

Reforço para a temporada, o volante Yuri Lara vem sendo, até aqui, um dos destaques do Vasco na campanha na Série B do Campeonato Brasileiro. E a boa fase faz com que o jogador tenha a “bênção” de Luisinho Quintanilha, que marcou época no Cruzmaltino e se tornou uma referência na posição.

Luisinho teve três passagens por São Januário no decorrer da década de 90, e conquistou diversos títulos, como Libertadores, duas vezes o Brasileiro, Mercosul, Rio-São Paulo e três vezes o Carioca.

O ex-volante conhecia Yuri dos tempos em que foi auxiliar-técnico do Bahia, clube em que esteve em 2017, mas lamenta não ter conseguido trabalhar de forma mais efetiva com o jogador, que, à época, se recuperava de uma lesão. Os dois se reencontraram na última semana, durante um evento em uma loja oficial do Cruzmaltino, em um shopping na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e foram muito celebrados pelos presentes.

“É muito gratificante [receber carinho da torcida]. É uma relação eterna, na verdade. Foram 10 anos de Vasco, com grandes conquistas. Já no fim da carreira, tive algumas lesões, mas nada que supere a minha dedicação, meu envolvimento com a torcida. É um prazer muito grande. Quando me chamaram, disseram que o Yuri viria, e eu já o conhecia lá do Bahia. Ele está super bem, jogando bem para caramba, honrando a camisa do Vasco, com aquela pegada”, disse Quintanilha.

“Quando estive com o Jorginho [hoje treinador do Atlético-GO], estava como auxiliar e o Yuri, infelizmente, estava vindo de uma contusão, estava retornando aos poucos. Eu o observava nos treinos, mas acabou que não deu tempo de colocarmos ele para jogar. Mas fiquei super satisfeito quando vi que ele estava vindo para o Vasco. As atuações, e a torcida incentivando… Acho que encaixou muito bem. O Yuri tem tudo a ver com o Vasco”, completou.

Yuri chegou à Colina, de família vascaína e torcedor declarado do clube, ele, que tem 28 anos, conta que ouviu bastante sobre Luisinho e pôde aprender com o ex-volante no Tricolor baiano, mesmo que com um contato não tão extenso.

“Luisinho é muito famoso. Sei bastante dele, meus tios falavam muito do Luisinho e, realmente, nos conhecemos no Bahia, mas estava voltando de lesão e, logo depois, eles saíram. Acabei não tendo muito contato, mas o pequeno tempo que tive com ele foi bastante proveitoso e pude aprender bastante”, afirmou.

Após o duelo com o Cruzeiro, no último domingo, o camisa 5 chegou a ser apontado como o líder em desarmes entre os 1.050 jogadores de linha das Séries A e B do Brasileiro, segundo o site Sofascore, especialista em estatística:

“Fico feliz. Quando cheguei aqui, era primordial ter a confiança de todos. Graças a Deus estou tendo e espero que possa continuar tendo até o final da temporada, e fazendo bons jogos aqui”.

A união do elenco tem sido um quesito apontado por jogadores e diretoria, principalmente no momento de transição da comissão técnica, após o pedido de demissão de Zé Ricardo. Maurício Souza, novo comandante cruzmaltino, foi anunciado na última segunda-feira.

“A Série B é uma competição muito difícil. Se não tiver um grupo que caminha para o mesmo lado, acaba ficando pelo meio do caminho. A gente está fazendo um bom trabalho e espero que possamos continuar unidos, batalhando sempre, como a gente vem fazendo nos jogos. Graças a Deus, ainda não perdemos, temos feito bons resultados, mas precisamos de mais. Competição é muito longa, está só no início. Acho que essa união vai nos ajudar no decorrer do campeonato”, salientou.

Fonte: UOL