Relação entre Vasco e Batman começou em 1953, após conquista do Expresso da Vitória

Já virou tradição. Jogo do Vasco em São Januário ou Maracanã, é comum se deparar com um torcedor mascarado de Batman na arquibancada. O adereço é uma homenagem ao goleiro Thiago Rodrigues, que caiu nas graças da torcida e atua com protetor facial. Porém, o que poucos sabem é que a relação do clube com o “Homem Morcego” não é apenas um gancho momentâneo e atual. Ela já vem de anos, mais precisamente da década de 50.

Em março de 1953 foi lançada a primeira edição da revista do Batman no Brasil, e em sua contracapa, para a surpresa de muitos, constava uma foto do elenco do Vasco de 1952 — popularmente conhecido como Expresso da Vitória —, vestido com as faixas do título carioca do ano anterior.

A imagem foi uma homenagem da extinta editora Brasil-América Ltda (EBAL), que possuía os direitos de edição brasileira dos heróis da DC Comics e que tinha seu parque gráfico bem em frente ao estádio de São Januário. A informação e as imagens foram divulgadas pelo perfil de Instagram “Memória Vascaína”, do historiador cruz-maltino Henrique Hübner.

“Eu comprei essa revista quando ainda estava na faculdade. Um vendedor de revistas antigas expunha uma dezena de revistas lá. Comprei porque era do Batman e, quando fui olhar, tinha a foto do Expresso da Vitória na contracapa. Isso foi lá por volta de 1986. Já tenho a revista há uns 28 anos”, revelou Hübner ao UOL Esporte.

O jogo do “bota-faixa” que ilustra a foto foi realizado em 21 de janeiro de 1953, na vitória sobre o Olaria por 1 a 0, com gol de Sabará, que coroou o bicampeonato carioca antecipado do cruz-maltino.

Os prédios que serviram de sede e o parque gráfico para a EBAL ainda existem e ficam localizados bem em frente à megaloja de São Januário, na rua General Almério de Moura.

Os imóveis já foram oferecidos à diretorias passadas do Vasco mas, ao que consta, possuem muitas dívidas de IPTU. A empresa fechou as portas na década de 90.

Thiago aprova apelido de Batman; máscaras viram sucesso

Um dos grandes destaques do Vasco na temporada, Thiago Rodrigues virou xodó da torcida. E suas boas atuações aliadas à peculiaridade de seu protetor facial — utilizado por conta de uma lesão na face — impulsionaram o apelido de Batman.

Atualmente, nos jogos em São Januário e Maracanã, as máscaras do super-herói fazem a alegria dos vendedores ambulantes, que têm o cuidado de colocar uma cruz de malta para identificar o adereço com o do “Batman da Colina”.

Em fevereiro, em entrevista ao UOL Esporte, Thiago Rodrigues já sentia que o apelido estava pegando e que, em breve, as máscaras fariam sucesso com os torcedores, principalmente o público mirim, um dos mais aficionados pelo goleiro.

“É engraçado [o apelido de Batman]. Aqui no Rio a torcida tem essa particularidade. Tem essa questão muito cultural de criar músicas, personagens também… O pessoal fica falando para o Vasco fazer a máscara e vender, porque vai ter Carnaval depois, quer levar para as crianças [risos]. Eu me divirto porque mexe com essa coisa do herói, as crianças gostam, se sentem identificadas”, disse na ocasião.

A lesão na face que motivou Thiago Rodrigues a utilizar o protetor facial ocorreu ano passado, no Campeonato Alagoano, quando ele ainda defendia o CSA. O utensílio é feito de fibra de carbono. A recomendação médica é a de que o goleiro utilize a máscara até o fim da temporada.

Fonte: UOL