Vasco devia cerca de R$ 1 milhão a Sá Pinto; confira os valores

Punido pela Fifa desde fevereiro, o Vasco devia R$ 1.005.375 ao técnico Ricardo Sá Pinto. O clube informou na última sexta-feira que quitou a dívida em sua totalidade e, agora, aguarda liberação da entidade máxima do futebol para poder inscrever jogadores.

Sá Pinto ingressou com uma ação contra o Vasco na Fifa no dia 10 de dezembro do ano passado. O técnico alegou que não recebeu um centavo sequer do valor previsto no acordo de rescisão contratual celebrado com o clube em janeiro.

A decisão da Fifa a favor de Sá Pinto foi publicada no dia 8 de fevereiro de 2022. O ge teve acesso à integra do documento, com o resumo do processo. A sentença obrigava o Vasco a pagar tudo o que devia de uma só vez, com juros retroativos anuais de 5%.

Segundo o acordo entre Vasco e Sá Pinto, o pagamento deveria ter sido feito da seguinte maneira:

• R$ 974.375 de salários divididos em três parcelas de R$ 324.791,66 a serem pagas em fevereiro, março e abril de 2021.

• R$ 31 mil de luvas divididos em três parcelas de R$ 10.333,33 a serem pagas em fevereiro, março e abril de 2021.

O técnico português ainda notificou o Vasco extrajudicialmente por duas vezes, uma em maio e outra em agosto de 2021, antes de ingressar com a ação na Fifa.

A decisão da Fifa dizia que o Vasco tinha até 45 dias após ser notificado para pagar a dívida integral. Após o fim desse prazo, caso não fosse constatado o pagamento, o clube seria automaticamente punido com transferban, que é a proibição de inscrever jogadores pelas próximas três janelas de transferências.

O Vasco não informou quando exatamente foi notificado da decisão da Fifa. O clube disse na última sexta-feira apenas que pagou R$ 1,4 milhão para se livrar do transferban. A diferença de aproximadamente R$ 400 mil se dá pela dívida com os outros dois membros da comissão técnica de Sá Pinto.

O clube aguarda a liberação da entidade para poder inscrever Alex Teixeira, que ainda não teve seu nome publicado no BID justamente por causa do imbróglio.

Em dificuldade financeira nos últimos anos, o Vasco contou com um aporte de R$ 70 milhões de um empréstimo-ponte da 777 Partners no início da temporada, valor utilizado principalmente para pagar dívidas e acertar os salários. Esse dinheiro acabou no início de junho, segundo um balanço formulado pelo Conselho Fiscal na ocasião.

ERRATA: Diferente do que foi publicado anteriormente, os cerca de R$ 400 mil de diferença entre a dívida com Sá Pinto e o pagamento do Vasco não são referentes a juros, mas, sim aos valores que eram devidos aos outros dois membros da comissão técnica do treinador. A reportagem foi publicada às 10h06 e corrigida às 11h47.

Fonte: ge