Hoje técnico do Sub-14 do Vasco, Diogo Calhau fala sobre o início de Marlon Gomes

Se alguém ainda não conhecia Marlon Gomes, o garoto de 18 anos tratou de apresentar suas credenciais na vitória por 3 a 1 sobre o Tombense, neste sábado. Com direito a um golaço, foi um dos nomes do jogo, embora tenha saído com dores logo no início do segundo tempo. Um tipo de atuação que sem dúvida alguma joga os holofotes sobre o cria do clube a partir de agora, mas que não causa nenhuma surpresa para quem o conhece desde base.

Marlon foi captado pelo Vasco em 2017, quando jogava na base do Nova Iguaçu. Franzino, muito cabeludo, chegou ao clube na ocasião para jogar no sub-15. Passou por todas as categorias, inclusive com convocações para a seleção brasileira, antes de dar início à transição para o profissional no segundo semestre deste ano. Em fevereiro o Vasco renovou seu contrato até o fim de 2024.

Hoje treinador do sub-14 do Vasco, Diogo Calhau pode ser considerado um dos “padrinhos” de Marlon no futebol. Ele foi o responsável por observá-lo ainda no Nova Iguaçu, treinou o garoto quando estava no sub-15 e trabalhou com ele também na seleção brasileira. Diogo auxiliava o técnico Dudu Patetuci toda vez em que havia um convite da CBF – na época não havia comissão técnica fixa no sub-15, de modo que os convites a Dudu, atualmente no comando da seleção brasileira sub-16, eram para serviços temporários.

– Quando fui observar o Marlon, gostei muito da entrega dele no jogo, sempre foi muito voluntarioso, sempre foi de cumprir função, de ocupar bem os espaços. Foi um jogador que chamou muita atenção por isso, então a gente trouxe ele. Era um jogador que fisicamente ainda tinha uma deficiência grande, mas foi se destacando – se recorda Calhau a pedido do ge.

“Ele daqui a pouco com certeza vai estar despontando no cenário do futebol brasileiro e mundial. É um menino muito promissor”, acrescenta ele.

Marlinho ganhou espaço rapidamente no Vasco, a ponto de ser considerado um dos maiores talentos dessa geração que está sendo lançada aos poucos. Andrey foi o primeiro, agora Marlon Gomes e Eguinaldo subiram juntos. Todos os três têm 18 anos.

Inicialmente promovido para um período de transição, Marlon se tornou peça importante do elenco principal. Ele iria, por exemplo, disputar os jogos da final do Carioca Sub-20 contra o Fluminense, que aconteceram nos dias 20 de julho e 4 de agosto, mas a comissão técnica decidiu mantê-lo entre os profissionais, como explica Rodrigo Dias, gerente da base do Vasco.

– Nossa missão aqui na base é contribuir na formação de cidadãos e no desenvolvimento de atletas de talento com o DNA do Vasco para a equipe principal. Estávamos com Figueiredo, Andrey e Marlon Gomes na Copa São Paulo e, em menos de seis meses, estão conseguindo sustentar um bom nível na Equipe Principal. Já Eguinaldo, que chegou em Setembro do ano passado teve uma evolução exponencial durante este ano e por isso também mereceu receber esta oportunidade – lembrou ele.

O polivalente Marlon Gomes

Na zona mista depois da vitória sobre o Tombense, Marlon Gomes resumiu aos jornalistas o que estava sentindo depois de fazer seu primeiro gol como profissional do Vasco.

– A gente até brincou no vestiário que a ficha ainda não caiu. Desde a base sou marcado por ser um jogador muito versátil, que consigo jogar em algumas posições. Fico muito feliz pela atuação hoje – disse o jogador de 18 anos.

Marlinho precisou de pouco tempo para provar essa versatilidade. Ele tem cinco jogos pelo profissional (entrou contra Ituano, CRB e Chapecoense antes de ser titular contra Ponte Preta e Tombense) e já atuou em pelo menos três posições diferentes.

Na derrota para a Ponte, na semana passada, por exemplo, ele começou jogando como meia armador e terminou na ponta esquerda – onde a propósito contribuiu bastante para a melhora da equipe no segundo tempo. Neste sábado, ele fez chover na ponta direita.

– Na base ele já jogou de primeiro volante, depois jogou de 8, sempre cumpriu muito bem. De lateral, de médio, de 5, sempre se destacou pela entrega dele. Isso sempre me encantou no Marlon – conta Diogo Calhau.

O fato de ter saído machucado da partida não preocupa. O Vasco informou que Marlon Gomes será reavaliado “nos próximos dias”, mas ele passou pela zona mista sem mancar e até dançou. “Senti só uma dor porque abri muito a perna, senti a coxa, mas não é nada demais”, garantiu ele.

O Vasco folga neste domingo e se reapresenta na segunda-feira, no CT Moacyr Barbosa, quando inicia a preparação para o próximo compromissos da Série B do Brasileirão: enfrenta o CSA na quinta-feira, fora de casa.

Fonte: ge