Torcida vascaína completa um turno de ingressos esgotados na Série B

Embora o momento na Série B do Brasileirão não seja dos mais favoráveis, com três vitórias nas últimas 11 rodadas, a torcida do Vasco tem feito sua parte nos jogos em casa e vai completar um turno inteiro esgotando ingressos. O exemplo mais recente é o duelo contra o Guarani, na quarta-feira da semana que vem, cujas entradas acabaram no mesmo dia em que foram colocadas à venda.

Da vitória por 1 a 0 sobre o Bahia no primeiro turno, em São Januário ou no Maracanã, todos os ingressos destinados aos vascaínos foram vendidos. A média do Vasco como mandante é de 25.447 torcedores por jogo nesta Série B. O clube carioca é terceiro no ranking de melhor média de pagantes (23.788), atrás de Cruzeiro (33.527) e Bahia (25.462).

O jogo contra o Bahia no primeiro turno foi precedido por muita polêmica: depois de muito esforço de argumentação nos bastidores, a CBF desistiu de remarcar a partida para a segunda-feira e a manteve no domingo. 19.692 pessoas assistiram em São Januário a vitória por 1 a 0, com gol de falta de Figueiredo.

Desde então, o Vasco não sabe o que é jogar para menos de 18 mil pessoas como mandante. Com destaque para os confrontos no Maracanã contra Cruzeiro e Sport, quando arrastou um público de 63.609 e 60.601 para o estádio, respectivamente. Veja a lista:

– Bahia – 19.692 presentes
– Brusque – 18.452 presentes
– Grêmio – 21.075 presentes
– Cruzeiro – 63.609 presentes
– Operário – 21.739 presentes
– Sport – 60.601 presentes
– Ituano – 20.508 presentes
– CRB – 19.997 presentes
– Chape – 20.918 presentes
– Tombense – 20.903 presentes

Em alguns casos, como no duelo contra o Guarani, os ingressos esgotam no mesmo dia, e a venda não chega sequer a ser aberta para o público geral, ou seja, para os torcedores que não são sócios. O Vasco tem no momento mais de 67 mil sócios.

Os ingressos esgotados não significam, no entanto, que todos os lugares do estádio serão ocupados. A quantidade significativa de sócios que faz o check-in e não comparece e a ação de cambistas explicam o fato de não haver lotação máxima nas partidas. São Januário tem capacidade para receber 22 mil pessoas.

Além disso, o Vasco conta como ingressos emitidos a carga disponibilizada para a torcida visitante, que nem sempre esgota o seu setor. Essa sobra, assim como os bilhetes que travam na catraca (normalmente porque foram vendidos de maneira irregular por cambistas) e as gratuidades não utilizadas, é identificada como “devolvidos” no boletins financeiros dos jogos.

A partida do Vasco como mandante com o maior número de ingressos devolvidos nesta Série B foi o empate com o Sport no Maracanã: 5.086.

Na vitória sobre o Operário, na 14ª rodada, por exemplo, a quantidade foi pequena (apenas 166) porque os clubes firmaram um acordo para que os torcedores do Fantasma fossem colocados nas tribunas de São Januário.

Fonte: ge