Adversários deste domingo, Vasco e Bahia vivem estágios diferentes na constituição de suas SAFs

O jogo entre Bahia e Vasco, às 16h do próximo domingo, muito provavelmente será o primeiro do clube carioca com Sociedade Anônima do Futebol (SAF). O Vasco espera regularizar sua SAF na CBF nesta sexta, caminho que deve ser seguido em breve pelo Tricolor Baiano, que também trabalha para profissionalizar seu departamento de futebol com a venda para o Grupo City.

Ambos os clubes começaram a debater o assunto no ano passado, mas o processo no Vasco foi bem mais rápido. Quase seis meses após assinar o pré-acordo com a 777 Partners, o clube do Rio de Janeiro aprovou em Assembleia Geral a venda de 70% da SAF. O Bahia, por sua vez, antecipou algumas etapas e preferiu se estruturar melhor antes de fechar negócio para venda de 90% da SAF.

Tanto Bahia quanto Vasco se aproximaram de investidores que já atuam no ramo do futebol. A 777 Partners é dona de outros três clubes espalhados pelo mundo, além de ter participação minoritária no Sevilla. O Grupo City, ainda mais tradicional, possui 11 clubes.

No Vasco, as mudanças efetivas podem começar a partir desta sexta, quando a 777 deve concluir o registro da SAF na CBF. Dessa forma, o presidente Jorge Salgado já não teria mais ingerência no futebol, que passará a ser controlado pelo grupo americano. Veja abaixo como está o processo de cada clube rumo à SAF:

Bahia SAF

O Bahia vive os últimos passos de uma longa caminhada na direção de oficializar uma proposta recebida para se tornar Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Embora o clube ainda não confirme, a apuração do ge aponta o Grupo City como o parceiro desta empreitada.

A proposta é para a compra de 90% da SAF do Bahia.

As conversas entre Bahia e Grupo City começaram em setembro do ano passado, ainda com o Esquadrão na Primeira Divisão do futebol brasileiro. O rebaixamento não esfriou o interesse que, de acordo com o presidente do clube, Guilherme Bellintani, partiu do time baiano.

Depois das primeiras reuniões, a negociação envolveu ainda uma série de outros encontros, com direito a viagem de Belllintani para a Inglaterra e visita de representantes do fundo árabe às instalações do Tricolor.

Outro movimento importante no caminho rumo a SAF aconteceu em julho deste ano, quando o Conselho Deliberativo aprovou o acordo com o Banco Opportunity para pagamento de uma dívida que chegou a ser de R$ 114 milhões. Após negociação, houve redução do débito para R$ 35 milhões.

Durante participação no Segue o BAba, podcast do ge, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani falou sobre a SAF no Bahia e explicou que o clube já superou duas de três etapas para a conclusão do processo.

1. Negociação de dívidas;
2. Valor a ser investido;
3. Detalhes jurídicos.

– A gente divide o tema em três grandes temas. Primeiro a dívida, situação do clube, que está superada. Segundo tema é negocial, de quanto vai ser investido, o papel que a associação vai ter. É o debate do projeto. E o terceiro é o jurídico, escrever tudo. Passamos pelos dois primeiros – disse Bellintani.

O gestor também comparou o projeto de SAF do Bahia com o de outros clubes no Brasil.

– Nós não entramos na lógica de estruturação da SAF como outros clubes brasileiros fizeram. Da nossa parte, pensamos em um projeto que seja definitivo no clube. Então não podemos fazer nada às pressas e de maneira desestruturada.

Bellintani justificou que o Tricolor caminha a passos mais lentos porque antecipou algumas etapas. Ele citou como exemplo o processo de verificação das dívidas do clube.

– Nós escolhemos o caminho mais completo e cuidadoso possível. Não só em termos jurídicos e financeiros, mas também em termos de proposta. Acho que estamos na fase final e esse ciclo é muito importante.

Os clubes do Grupo City pelo mundo:

Manchester City (Inglaterra)
Girona (Espanha)
Estac Troyes (França)
Lommel SK (Bélgica)
New York City (Estados Unidos)
Montevideo City Torque (Uruguai)
Bolívar (Bolívia)
Melbourne City (Austrália)
Sichuan Jiuniu (China)
Yokohama Marinos (Japão)
Mumbai City (Índia)

Vasco SAF

No Vasco, o processo da SAF está em fase final. O clube já aprovou a venda para a 777 Partners, que nesta semana concluiu a inscrição da nova empresa na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e pretende registrar na CBF nesta sexta. Com isso, o jogo contra o Bahia já será sob o registro do Vasco SAF.

A 777 pagou R$ 700 milhões por 70% da SAF do Vasco e ainda vai assumir até R$ 700 milhões da dívida do clube.

As partes começaram a negociar em dezembro do ano passado e, em fevereiro de 2021, assinaram um pré-acordo. Os últimos meses serviram para representantes do grupo americano visitarem o Brasil e conhecerem a estrutura do Vasco e para o clube realizar o rito interno de aprovação do negócio.

– O Vasco SAF será o principal investimento da 777 Partners na América do Sul, e o Vasco utilizará a rede de empresas da 777 para modernizar o clube com acesso a novas tecnologias de mídia, transmissão e utilização de dados para identificação de talentos.

– A SAF criará condições para que o futebol do Vasco recupere sua alta performance esportiva e para a sustentabilidade de longo prazo do CRVG, e o clube poderá aumentar seus investimentos nos esportes Olímpicos e Paralímpicos – disse o Vasco em nota quando anunciou o acordo com a 777.

Depois de votações no Conselho Deliberativo e em Assembleia Geral, o primeiro passou foi aprovar mudanças no estatuto do clube que possibilitassem a criação de uma SAF. Depois, conselheiros e sócios deliberaram sobre a proposta da 777, com a venda aprovada no último dia 7.

Entre os compromissos firmados pela empresa está o investimento de R$ 120 milhões ainda nesta temporada, sem contar o empréstimo de R$ 70 milhões feito pela 777 em março e que será descontado do montante final. Os americanos também garantiram fazer do Vasco seu carro-chefe na América do Sul – veja detalhes sobre os contratos entre as partes.

O Vasco vive agora um processo de transição para a SAF. O executivo Paulo Bracks foi contratado pela 777 para ser o diretor esportivo e já tem vivenciado o dia a dia do futebol. Com os registros na Ferj e na CBF, o clube vai concluir a transferência de todos os ativos do futebol – jogadores e funcionários – para a SAF, e também transferir 70% das ações da nova empresa para o grupo americano, que então depositará a grana na conta do Vasco SAF e passará de vez a comandar o clube.

– Estamos em dívida com a torcida, muitos anos sem ganhar nada. Sou empresário, sei o que é isso. Se não controla uma dívida, com juros… Vasco não tem crédito. Quando você mostra o balanço, todo mundo foge. A partir de agora, vai passar a ter novamente credibilidade. Estamos construindo hoje o futuro do Vasco – comemorou o presidente do clube, Jorge Salgado, após aprovação dos sócios.

Os clubes da 777 Partners pelo mundo:

Genoa (Itália)
Standard de Liège (Bélgica)
Red Star (França)
Sevilla (Espanha) – participação minoritária
Vasco (Brasil)

Fonte: ge