Com Josh Wander, Paulo Bracks e Luiz Mello, Vasco apresenta novo comando do futebol

O Vasco apresentou nesta quinta-feira a nova estrutura de seu departamento de futebol. Enfim sob o controle da 777 após oito meses de trâmites burocráticos, o clube realizou uma entrevista coletiva com a presença de Josh Wander, sócio proprietário da 777, Luiz Mello, CEO do Vasco SAF, e Paulo Bracks, diretor de futebol da Vasco SAF.

Após apresentar Bracks e Luiz Mello, dizendo que o início do projeto era um sonho para a 777, o americano Josh Wander falou sobre os planos a longo prazo da empresa para o futebol do clube.

– Sabemos da responsabilidade e seremos os guardiões com toda seriedade da história do clube. Queremos assumir o compromisso com os vascaínos de que sempre faremos o melhor pelo Vasco. É importante distinguir 777 de outros fundos que tem os horizontes curtos. Somos uma holding. Mas não há outros investidores. Nós somos os investidores. E não estamos aqui para um projeto de 2, 5 ou 10 anos. Estamos aqui para um projeto de 30 ou 50 anos – frisou Josh.

– Temos perfeita confiança de que vamos conseguir atingir os objetivos. Estamos aqui para ganhar dinheiro? Sim, estamos. Mas não de forma imediata. Não estamos aqui somente pelo aspecto financeiro. O Vasco é diferente. É o melhor em sua área e queremos de fato torná-lo o melhor. Isso é muito importante para nós. Quando à parte de esportes, o Paulo está encarregado. Mas vamos trazer estabilidade financeira, vamos colocar as pessoas corretas, implantar os processos adequados. Temos total confiança em tudo o que o Paulo Bracks vai fazer. Tenho certeza de que vai dar certo.

Wander falou ainda sobre a sua declaração no início do ano sobre o clássico contra o Flamengo pelo Campeonato Carioca ter sido o último com um abismo financeiro entre os clubes.

– A promessa que fiz quando estive aqui no início do processo está mantida. O Vasco não está mais em uma posição de insegurança financeira. É claro que quando a temporada acabar vamos fazer de tudo para melhorar o clube. Isso não significa apenas comprar jogadores. O clube tem que se preparar para poder constantemente comprar jogadores e ter jogadores. Mas isso leva tempo. É um comprometimento nosso. Sabemos que não será fácil, mas é um comprometimento nosso.

Na última quarta, o americano esteve pela primeira vez acompanhando um jogo do Vasco em São Januário e definiu a experiência como mágica.

– A noite passada foi absolutamente mágica. Foi meu primeiro jogo em São Januário. Eu realmente nunca tinha vivenciado algo assim. Já tinha visto vídeos, mas São Januário tem uma eletricidade única. Deslumbrante. O Maracanã já tinha me deixado uma impressão muito forte, mas São Januário foi diferente. Todos deixamos o jogo e acho que ninguém dormiu ontem à noite. Já espero o próximo jogo. É claro que ganhamos (risos). Não existe razão para o Vasco falhar. É um país incrível, com pessoas muito talentosas e apaixonadas por futebol. Por que o Vasco não pode voltar para o topo do futebol mundial?

Mais cedo, a comitiva esteve reunida por cerca de uma hora para tratar das futuras melhorias que serão feitas no CT Moacyr Barbosa. Além dos três dirigentes citados, o presidente Jorge Salgado também participou do encontro, assim como outros executivos da 777.

Confira as declarações de apresentação de Paulo Bracks e Luiz Mello:

Luiz Mello:

Queria agradecer o Jorge Salgado e o Adriano Mendes (VP de Finanças), que me convidaram há um ano e oito meses e hoje estamos fazendo o maior negócio da história do futebol brasileiro, há oito meses. A todos VPs também. Tivemos alguns percalços, mas o trabalho foi bem feito. Foi uma negociação longa, árdua. Mas agora temos todos recursos para fazer as melhorias. É lugar comum falar que o Vasco é hoje o maior potencial do futebol brasileiro. E queremos que esse potencial se torne realidade.

Paulo Bracks:

Josh, obrigado pela confiança. É uma realização profissional para mim vestir a camisa do Vasco, estar á frente desse projeto e no Vasco. Sempre admirei o clube, conheço a história do Vasco. Quando me forjei torcedor de arquibancada, acompanhei o Vasco de 1997 e 2000, acompanhei jogos na Força Jovem. Tenho uma relação próxima ao Juninho Pernambucano. Desde o início de agosto, procurei dar tranquilidade ao grupo de jogadores. Sou um cara tranquilo, sou mineiro.

Um grupo de jogadores que está desde o início do ano dando ao Vasco a probabilidade do acesso, que vamos conseguir. Encontrei um grupo comprometido de profissionais que respeitam a camisa do Vasco. Peço ao torcedor que apoie esse grupo e esse escudo. O torcedor do Vasco é o diferencial nessa competição. Entendo a ansiedade, é normal. Entendo a agonia com as rodadas passadas. É normal. Mas o apoio não pode faltar, como vimos ontem à noite.

2023 será um ano muito melhor para o Vasco, mas precisamos passar por 2022. Fecho dizendo que tudo o que for necessário para o acesso será feito. O Vasco nunca deixou de ser gigante. Mas vamos colocar o Vasco na prateleira que ele merece dentro do futebol brasileiro.

Fonte: ge