Léo Matos: ‘Se a cobrança é grande de fora, internamente é maior ainda’

Autor do gol do Vasco na derrota para o Grêmio no último domingo, Léo Matos conversou com os jornalistas na tarde desta quarta-feira, na sala de imprensa do CT Moacyr Barbosa, e comentou a pressão do clube por vitórias. O Vasco venceu três dos últimos 12 jogos e tem apenas um ponto de vantagem sobre o quinto colocado da Série B do Brasileirão.

Léo Matos, um dos mais experientes do elenco, garantiu que a pressão “internamente é maior ainda”.

“Estávamos em uma situação mais confortável há um mês, diferença chegou a 9 pontos. Mas são coisas que acontecem no futebol. Se a cobrança é grande de fora, internamente é maior ainda. Sabemos que cometemos erros. Nada vem de graça. Temos que lutar”, disse ele.

– No início da temporada ninguém falou que será fácil. E não está sendo fácil. Mas vamos conseguir. Essa é uma certeza que temos. Vamos conseguir o acesso. Vamos começar a reverter essa situação a partir de sexta. Queremos mais e sabemos que podermos dar um pouco mais – completou ele.

A derrota para o Grêmio em Porto Alegre foi a sétima consecutiva do Vasco fora de casa nesta Série B.

– A gente tem buscado as vitórias fora de casa. Elas não vêm acontecendo. A gente nem pensa em não subir o Vasco. Temos certeza absoluta que vamos subir o Vasco. Queríamos que fosse de uma forma mais fácil, com gordura, e as coisas sob controle. Hoje existe a pressão, mas continua em nossas mãos. São nove finais. Agora é a nossa Copa. Vamos jogo a jogo pelo acesso. Não vai ser um grupo que ficará marcado por não subir o Vasco. Tenho certeza que ficaremos marcado por subir o Vasco para a Primeira Divisão – afirmou.

Chegada de Jorginho

Contratado na semana passada, Jorginho fez contra o Grêmio sua estreia no comando do Vasco. Léo Matos acredita que chegada do novo treinador vai contribuir para que a equipe retome o caminho das vitórias na competição.

– Jorginho dispensa comentários como jogador e treinador. Tinha uma curiosidade muito grande trabalhar com ele. As informações que tive muito antes dele chegar ao Vasco era de que ele é uma pessoa muito boa e um excelente treinador. Tenho certeza que ele vai nos ajudar no acesso. Fizemos uma boa partida contra o Grêmio, mas infelizmente não vencemos – lamentou o lateral, que também falou sobre a disputa de posição:

– Tivemos algumas oportunidades nesse ano. Julgo que fiz algumas boas partidas. Mas realmente teve essa reposição de laterais e passou a ideia de que ninguém acertou na posição. Eu vinha sendo o titular da posição até o início do ano e não ouvia a necessidade de buscar um lateral. Tenho certeza que com a chega do Jorginho, vou aprender bastante, ele tem dado dicas. Fico feliz por ter marcado o gol – disse ele.

O Vasco volta a campo na próxima sexta-feira para enfrentar o Náutico, ás 16h (de Brasília), em São Januário, pela 30ª rodada da Série B do Brasileirão.

Veja mais sobre a coletiva de Léo Matos:

Você estava aqui no ano passado. Por que tanta confiança no acesso agora? Qual a diferença?

– Falar sobre o ano passado é complicado. Já passou. Prefiro focar no momento. Mas para exemplificar, o ano passado começou com dificuldades. O campeonato acabou em fevereiro, tivemos quatro dias de folga. Trocamos o pneu do carro com o carro andando. Não tivemos tempo de preparação. Se montou um elenco com o que se tinha no mercado. A coisa não deu liga. Nesse ano tivemos tempo com o Carlos Brazil, agora com o Paulo Bracks. As coisas estão se desenvolvendo melhor. O elenco está mais equilibrado, fazendo jogos melhores.

Estratégia contra o Náutico

– Se ganha do Náutico, como ganhamos de outras equipes em São Januário. A começar com apoio da nossa torcida. Já esgotaram os ingressos. Ela tem sido fundamental. Mas para trazer a torcida para o nosso lado, temos que jogar bem. Se não vamos bem, acaba se criando um problema. É tentar sufocar nosso adversário, que já se cria uma atmosfera boa no jogo. É tentar começar o jogo forte, com uma superioridade técnica e física. Às vezes o gol não sai cedo. Já passamos de tudo nesse ano. Estamos preparados para fazer o gol no último minuto também. Temos 90 minutos para vencer o jogo. O importante é saber que temos que vencer o jogo. Só depende de nós voltar à Série A no ano que vem.

Fonte: ge