Campeão do carnaval, Horta afirma: 'Vascaínos sabem do que sou capaz'

Campeã em 2010, 2012 e 2014 do carnaval carioca – título que veio na penúltima nota da apuração dessa quarta-feira de cinzas -, a conquista da Unidos da Tijuca alavanca um nome para a disputa da presidência do Vasco: Fernando Horta. Grande benemérito vascaíno, o presidente da Tijuca costura uma chapa com o economista Jorge Salgado e outras correntes políticas do clube. Apesar da euforia na quadra da escola, Horta preferiu ser comedido, ainda avaliar o cenário e adiar para breve a decisão sobre sua candidatura à presidência do Vasco. 
Fernando Horta Unidos da Tijuca taça campeão carnaval (Foto: André Mourão/Agência Estado)
– Só vou decidir (sobre as eleições do Vasco) depois do desfile das campeãs – disse Horta, antes de se vangloriar do trabalho que comanda na Tijuca.
– Logicamente que o título mais uma vez é fruto de trabalho que a gente vem fazendo, mas os vascaínos já sabem do que sou capaz. Não precisava ganhar esse título para mostrar o que a escola (Tijuca) é ou aquilo que eu sou.
Questionado se poderia deixar a escola de samba para se dedicar à campanha para a presidência do Vasco, Horta se esquivou e lembrou que as eleições para a Unidos da Tijuca só serão realizadas no ano que vem. No entanto, pessoas próximas dizem que ele já prepara um sucessor na escola do Borel, onde participa da vida administrativa há mais de 20 anos. Com ligações de amigos vascaínos logo após o resultado da apuração na Sapucaí, Horta já ouvia muitos pedidos para que encarasse a disputa política no Vasco.
– Sei que o assédio é maior e vai aumentar (para sair candidato). Mas vou esperar passar esse sábado – reforçou o presidente da Unidos da Tijuca.
As eleições do Vasco ainda não têm data definida. O presidente da Assembleia Geral, Olavo Monteiro de Carvalho, convocou a Junta Deliberativa para se reunir no dia 17 de março em São Januário. Eurico, mais Roberto Dinamite e dois presidentes de conselhos vão participar deste encontro que promete ser polêmico. Pela convocação, Olavo indica que pode marcar as eleições para meados de junho, o que excluiria, portanto, os mais de três mil associados que entraram no Vasco para votar nestas eleições. O grupo de Eurico Miranda já ameaça ir à Justiça contra o que classifica como “golpe” de Olavo para prejudicar o ex-presidente.
Fonte: Globo.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠