Prestigiado por Eurico, Rodrigo vira referência no Vasco com gols e raça

Rodrigo comemora gol diante da Chapecoense: zagueiro está identificado com o clube

Rodrigo tem 35 anos e, atualmente, é um dos jogadores mais experientes e rodados do futebol brasileiro. Com conquistas e passagens por diversos clubes do país, parece encontrar no Vasco o clube para viver suas mais variadas emoções.

Prestes a completar 100 jogos pelo Cruzmaltino, algo que acontecerá na próxima quinta-feira, no decisivo duelo com o Corinthians, ele já sentiu a sensação de estar no céu e no inferno algumas vezes em São Januário, mas parece que, cada vez mais, as raízes estão fincadas e o clube se encaminha para ser o que ele encerrará a carreira.

Contratado no início de 2014 para a disputa da Série B, competição que até então nunca havia disputado, ele teve um início difícil no clube, com alguns ruídos de relacionamento no elenco. Aos poucos, porém, foi conquistando liderança e hoje enverga a braçadeira de capitão, sendo uma referência para o grupo.

Gozando de simpatia com o presidente Eurico Miranda, ganhou uma renovação de contrato de mais dois anos de modo inesperado, após bate-boca público com o atacante Fred, do Fluminense, quando o tricolor o chamou de “aposentado”.

De personalidade forte, também não se furtou em alfinetar o rival Flamengo após os resultados positivos na temporada, algo que o ajudou a criar identificação com a torcida.

Hoje respeitado pelos vascaínos, Rodrigo também já passou por momentos de aperto quando foi agredido covardemente com um tapa por um membro de uma organizada quando entrava na concentração do Vasco, no bairro da Lapa, na época em que eclodiram os protestos contra a má campanha da equipe no Campeonato Brasileiro.

No Cruzmaltino Rodrigo também demonstrou sua veia artilheira. Seja em jogadas aéreas ou com seus potentes chutes de falta, já foram 12 com a camisa vascaína, algo expressivo em se tratando de zagueiro.

Feliz e identificado com o clube, Rodrigo resumiu a marca que está prestes a atingir e fez um breve balanço do que viveu até aqui no Vasco:

“A conquista deste ano, no Carioca, foi uma coisa bacana para o clube, meu primeiro título aqui… Colocaria esse jogo (como o mais importante). Eu tive momentos bacanas aqui, jogos muito intensos dentro da carreira como nunca tive. Finais com Maracanã lotado, Vasco x Flamengo, jogos inesquecíveis… É um clube com o qual me identifiquei bastante. De todos em que joguei, foi o time que mais me identifiquei com a torcida, com meu jeito de jogar”.

Empolgado e com bom desempenho em grandes partidas, Rodrigo ficou satisfeito em saber que completará sua centésima partida diante do Corinthians.

“Olha, completar 100 jogos jogando em São Januário… Isso é forte. Contra o líder, é um jogo que tem bem a minha cara, vai ser bem disputado. Gostei “, destacou.?

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠