Identificação com rival não altera PC: “Minha camisa e coração são Joinville”


A vida de PC Gusmão tem toques cruzmaltinos. O carioca de 53 anos tem o Vasco como clube de infância e também no currículo. Paulo Cesar foi goleiro quando jogador, preparador de arqueiros e também treinador depois que pendurou chuteiras e luvas. Porém, garantiu, seu coração tem outras cores desde julho deste ano, quando deu início ao novo desafio, e assim vai ser quando o JEC que comanda enfrentar o Vasco no duelo das 17h deste domingo, na Arena Joinville. O time da cidade natal não vai ter colher de chá.

O treinador sabe da situação complicada que os vascaínos estão no Campeonato Brasileiro. Porém, ainda que tivesse o Joinville o rebaixamento decretado, não mudaria de ideia. Quer vencer com os tricolores de Santa Catarina pela possibilidade remota de salvar a equipe da degola, mas sobretudo pelo sentimento novo em seu peito.

– Não tem amolecer: sou JEC. Quando você vira profissional, esquece a paixão. Você torce quando é criança, mas sou profissional e já enfrentei o Vasco por diversas vezes quando estava em outros clubes. Minha camisa e meu coração estão aqui, quem me paga é o Joinville. Minha paixão, hoje, é o Joinville – assegurou.

O carioca de 53 anos também não cede aos pedidos de alguns torcedores. Depois do revés por 2 a 1 para o Avaí, na última quarta-feira, tricolores chegaram a sugerir que o Joinville amoleça diante do Vasco no domingo a fim de tentar evitar que o clube venha a seja um eventual adversário na Série B do próximo ano. Para o treinador, não há possibilidade alguma do desejo ser realizado, até porque pretende lutar pela permanência na Série A do Campeonato Brasileiro, mesmo com as chances mínimas que tem.

dscn6537_1

– A torcida é passional e nós somos profissionais. A torcida tem que imaginar que ainda temos chances. Pode acontecer de ganhar e todos perderem nesta rodada, e ainda estaríamos vivos. Não adianta pensar em hipóteses. A realidade é dura, mas ainda viável. Se temos chances de chegar, vamos tentar. Peça ao torcedor que esqueça a situação, o respeitamos, ele é participativo, porém nossa obrigação é de vitória para continuarmos vivos. Estamos pensando no Joinville.

Fonte: GLoboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠