Dinamite revela o que disse ao elenco antes da viagem do Vasco para SP

O amor infinito que tem pelo Vasco faz com que Roberto Dinamite se recuse a ficar parado, mesmo depois de tantos serviços prestados por décadas na Colina. Maior ídolo da história do clube, ele acredita que o Cruz-Maltino conseguirá permanecer na elite do futebol brasileiro. Em entrevista ao Jogada10, Dinamite falou sobre o que espera da equipe para o confronto decisivo contra o Corinthians, clube que o faz lembrar de um capítulo à parte em sua carreira, e revelou como foi a conversa com os jogadores e o técnico Vanderlei Luxemburgo, em visita, nesta sexta-feira (19), ao CT do Almirante, antes da viagem da delegação para São Paulo.

“Sempre estarei à disposição do Vasco e não estou feliz com essa ameaça de rebaixamento. Por isso fui acompanhar o treino da equipe no CT. Almocei com eles e conversei com alguns. Disse para o grupo que o foco é em fazer o melhor e que acredito na força do pensamento. Que a vitória não cairá do céu e que na vida é preciso equilíbrio, aplicação e intensidade para alcançar objetivos. É preciso estar ligado o tempo, nos 90 minutos”, destacou o eterno craque, que logo contou suas palavras ao artilheiro Germán Cano, em jejum de gols há quatro jogos:

“Temos que unir forças. Falei para o Cano que ele é um atacante do c@#$%@#, muito bom mesmo! Também contei a ele que já fiquei três, quatro jogos sem fazer um gol e que isso faz parte. Mas que são em jogos de grande responsabilidade que o craque faz a diferença”.

Dinamite acredita que Luxemburgo deverá escalar uma equipe ofensiva, mas defende que Talles Magno e Benítez sejam aproveitados em suas características.

Conversei com o Vanderlei no almoço, e estou certo de que vai mandar o time para cima do Corinthians. E é isso mesmo. A melhor defesa é o ataque. Só que tem uma questão: Benítez e Talles Magno precisam estar concentrados em seus pontos fortes, nas suas características. Não adianta deixar os caras com a responsabilidade de marcar. Ajudar, sim, mas não a responsabilidade, porque desse jeito eles vão ficar mais distantes da área, e aí a bola não chega no Cano”, disse.

O ídolo avaliou de forma positiva o trabalho do experiente treinador, apesar dos maus resultados. Em dez jogos, são duas vitórias, três empates e cinco derrotas.

“Gosto do trabalho dele. É um treinador muito experiente. Mas se as coisas não estiverem funcionando em campo, os jogadores precisam conversar entre eles, mas também com o técnico: ‘Olha, isso aqui não tá dando certo. Temos que mudar isso’. E o Vanderlei como um técnico experiente precisa sentir isso e ouvir os caras. Na minha época, quando a gente via que não as coisas não estavam acontecendo, a gente ia no treinador, afirmou Dinamite, que acredita que, diante do Corinthians em São Paulo, o Vasco precisará fazer uso do emocional para equilibrar a partida:

“Se o time dos caras tem mais opções de jogadores e não der para fazer frente na técnica, o Vasco vai precisar igualar na vontade. Nem sempre quem está melhor, vence. Mas tem de ter autoestima”.

O adversário deste domingo traz lembranças especiais para Roberto Dinamite. Depois de sair do Vasco e passar apenas seis meses no Barcelona, onde estava insatisfeito pela falta de oportunidades – ainda havia limite de jogadores estrangeiros por time –, o atacante retornou para o Cruz-Maltino depois que as diretorias dos clubes entraram em acordo, por conta de um rumor de que Roberto poderia ser negociado pelo espanhóis com o Flamengo. Em seu regresso ao Maracanã, Dinamite anotou cinco gols em um confronto com o Corinthians.

“Fui o jogador que mais atuou neste clássico Vasco x Corinthians. E vencemos eles uma vez em São Paulo por 2 a 1. Mas este dos cinco gols foi minha segunda partida pelo clube em minha volta, o primeiro foi na vitória por 1 a 0 sobre o Náutico, no Recife. Mais de 100 mil pessoas no Maracanã num jogo em que as torcidas de Flamengo e Corinthians ficaram juntas. Na preliminar teve Flamengo 3×0 Bangu e os rubro-negros continuaram nas arquibancadas. Foi uma sensação maravilhosa fazer cinco gols. Um dia que se tornou inesquecível para mim”.

Roberto Dinamite foi presidente do Vasco entre o final de 2008 e o final de 2014, durante dois mandatos. Em sua gestão, o clube faturou a Copa do Brasil de 2011 e obteve o acesso à elite do futebol nacional com o título da Série B em 2009, após o primeiro rebaixamento da história do Cruz-Maltino no ano anterior.

Fonte: Jogada 10

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠