Everton Costa e William Barbio: velozes e furiosos do Vasco

 

Everton Costa e William Barbio - Vasco (Fotos: LANCE!Press/ AGIF)

O velho ditado prega que “a pressa é inimiga da perfeição”. Mas, talvez, não seja este o pensamento do técnico Adilson Batista após a partida contra o Nova Iguaçu, quando ele apostou na velocidade para surpreender o adversário no segundo tempo e, por pouco, não saiu vencedor e líder do Campeonato Carioca.

O comandante da equipe cruz-maltina começou o jogo com um trio de frente formado por Bernardo, Montoya e Edmilson. Porém, não satisfeito com a atuação nos primeiros 45 minutos, sacou William Barbio e Everton Costa da cartola. Deu certo. O time de São Januário passou a criar mais que na etapa inicial e parece ter agradado.

Segundo Adilson, com a entrada deles, o time não ficou apenas mais rápido, mas também agressivo nas investidas à defesa adversária, numa busca incessante pelo gol.

– Fizemos algumas trocas que deixou a equipe mais leve, rápida, agressiva… O time criou oportunidades. Estávamos trabalhando, mas não estávamos sendo agressivos. Com a entrada dos dois, o volume de jogo melhorou e criamos situações – analisou o treinador.

William Barbio entrou no intervalo, na vaga do colombiano Montoya, enquanto Everton Costa no lugar de Bernardo, aos 17 minutos – momento em que a torcida chegou a ensaiar críticas ao técnico.

Os dois participaram do lance de um gol do Vasco – com passe de Everton para Barbio –, que foi corretamente anulado por impedimento e, pouco tempo depois, Barbio fez o cruzamento que gerou o gol contra do Nova Iguaçu.

Adilson terá uma semana ainda para trabalhar e definir a equipe que vai entrar em campo contra o Flamengo, domingo. A disputa por posição já começou em São Januário e as dúvidas na cabeça do treinador também. Resta saber se a velocidade será a arma novamente.

Everton Costa no Carioca

> Jogos – 1
> Finalizações – 0
> Cruzamentos – 1
> Desarmes – 1

William Barbio no Carioca

> Jogos – 7
> Finalizações – 2
> Cruzamentos – 1
> Desarmes – 5

Mudança no estilo de jogo

Segundo Adilson Batista, a intenção ao colocar a dupla em campo era fazer algo que ele considerou deficiente durante a etapa inicial do jogo de domingo.
O treinador queria que o time cruz-maltino explorasse as laterais do Nova Iguaçu, algo que na formação com Bernardo e Montoya não estava acontecendo.

– Esta foi a intenção. Pedimos a eles, no segundo tempo, para usar a velocidade e usar bem os lados do campo. Queríamos explorar as costas dos laterais – disse o comandante.

Fonte: LANCENET!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠