Risco de queda deixa pendente reforços e renovações no Vasco para 2016


Sonhando em permanecer na Série A mesmo com o grande risco de rebaixamento, o Vasco ainda tem pendente seu planejamento para 2016. Ao todo, 15 jogadores terão seus contratos encerrados ao fim desta temporada, mas tanto possíveis renovações quanto reforços só serão avaliados com a definição de qual divisão do Campeonato Brasileiro o clube irá disputar ano que vem.

Sabe-se, no entanto, que mesmo alguns atletas com vínculos mais longos correm o risco de deixar São Januário. Destaque na arrancada da equipe para se livrar da queda, o meia Nenê, com contrato até dezembro de 2016, interessa a Atlético-MG e Palmeiras. Prata da casa, o zagueiro Luan poderá ser negociado para fazer caixa assim como o jovem atacante Thalles, que perdeu espaço por casos de indisciplina. Titular absoluto da lateral direita, Madson tem recebido sondagens, embora seu vínculo seja até janeiro de 2018.

Considerado um talismã vascaíno por conta de gols decisivos na temporada, o atacante Rafael Silva não deverá continuar. Seu contrato se encerrará em dezembro deste ano e a intenção é a de que ele se transfira para o mercado asiático, onde buscará sua independência financeira.

Emprestado pelo Atlético-MG, o volante Serginho também terá seu vínculo finalizado ao fim da temporada e retornará ao Galo, já que boa parte de seu salário é pago pelo clube mineiro. O atacante Riascos também atua por empréstimo, mas pelo Cruzeiro. O colombiano, no entanto, tem contrato até 15 de maio de 2016.

Entre os demais jogadores que terão o contrato encerrado em dezembro, três terão suas situações avaliadas com possibilidades de propostas de renovação: o atacante Jorge Henrique, o zagueiro Anderson Salles e o volante Lucas. Os dois últimos, embora não sejam considerados titulares, são vistos com bons olhos internamente.

Os goleiros Alessandro e Charles; o zagueiro Aislan; os laterais Christianno, Bruno Telles, Jean Patrick, Auremir (está emprestado ao Fortaleza); o volante Felipe Seymour; o meia Emanuel Biancucchi; e o atacante Romarinho são dados como praticamente certos na barca.

O experiente Dagoberto, embora tenha contrato até 31 de dezembro de 2015, já nem faz mais parte do elenco e, em consenso com a diretoria, já não recebe mais salários.

O técnico Jorginho e o auxiliar Zinho também estão com o futuro pendente, embora estejam agradando à diretoria.

“O meu desejo e o do Jorginho é de permanecer, independentemente da divisão. A gente gostaria muito de iniciar um trabalho num clube, e aqui a gente está se sentindo muito à vontade para isso”, declarou Zinho em entrevista coletiva na semana passada.

O auxiliar, inclusive, se mostrou compreensível com esse adiamento do planejamento:

“Com certeza se já tivesse um planejamento mais ou menos montado, nós teríamos uma condição de não cometer erros para a próxima temporada. Mas é admissível, a gente sabe que a prioridade hoje é trabalhar para a permanência do Vasco. Natural que o foco esteja somente nisso. Mas temos profissionais como o Paulo Angioni (gerente de futebol), o presidente (Eurico Miranda) que, com certeza, estão elaborando isso. Sobre definição de elenco e comissão técnica é difícil responder agora”.

A única definição do momento para 2016 é o local da pré-temporada, que pelo terceiro ano consecutivo será no centro de treinamento João Havelange, em Pinheiral, interior do Rio de Janeiro.

Fonte: UOL Esporte

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠